top of page
Buscar
  • Setrix Segurança em Tecnologia da Informação

Ameaças cibernéticas em 2023: conheça as principais e saiba como se proteger

Atualizado: 1 de fev. de 2023

Para manter sua empresa segura neste ano, é fundamental estar em alerta e conhecer os principais riscos


Os cibercrimes, ano após ano, crescem em número e em complexidade por aqui, levando o Brasil ao primeiro lugar no ranking de países mais atacados na América Latina, segundo um relatório realizado pela Unit 42, uma empresa especialista em tendências de segurança virtual.


Em um cenário tão ameaçador, é necessário conhecer as previsões para o ano e saber quais são as principais tendências no ramo dos ciberataques para proteger os dados e os ativos do seu negócio e impedir que ele se torne mais uma vítima.

Continue a leitura para conferir as principais ameaças à segurança digital em 2023 e as melhores estratégias para proteger a sua empresa.


5 ameaças à segurança digital que merecem sua atenção em 2023

À medida que a relevância do universo digital aumenta para empresas de todos os portes e segmentos, os cibercriminosos evoluem suas técnicas e trazem novos ataques e ameaças para a rede e os ativos de uma organização.

Por isso, é fundamental conhecer os perigos para agir de maneira proativa e proteger o seu negócio. Confira agora quais são as cinco principais tendências em ameaças de cibersegurança para este ano.


1. Ransomware em alta

De acordo com previsões de especialistas em segurança digital, os ataques de ransomware vão ganhar ainda mais evidência em 2023.


Trata-se de um malware que sequestra virtualmente o dispositivo da vítima, seja ela uma pessoa física ou uma empresa, para que o criminoso peça determinado valor em dinheiro como resgate para não roubar, apagar ou vazar dados pessoais ou sigilosos.

Um dos motivos que está permitindo que esse tipo de ataque se intensifique é a disponibilização de Ransomware as a Service (RaaS) - um malware que pode ser comprado ou baixado gratuitamente na internet e possibilita que hackers, ainda que iniciantes, consigam manusear o vírus e atacar dispositivos.


Mas saiba que há formas de proteger a sua empresa deste tipo de ciberataque: explique detalhadamente a política de confiança zero para todos os colaboradores; mostre os riscos de clicar em links ou anexos recebidos de remetentes desconhecidos; tenha boas ferramentas de proteção, detecção e resposta nos seus endpoints e as mantenha sempre atualizadas; e faça backups dos seus arquivos regularmente.


2. Vulnerabilidades do 5G

Toda nova tecnologia costuma carregar consigo novas formas de cibercriminosos atacarem suas vítimas, e é claro que isso aconteceu com o 5G, o padrão de tecnologia de quinta geração para redes móveis e banda larga.


A grande quantidade de pontos de roteamento de tráfego do 5G vai demandar mais atenção com a infraestrutura, já que um número maior de pontos de acesso também é um número maior de pontos que podem ser atacados pelos hackers.


Além disso, a hiperconectividade traz a possibilidade de golpes em maior escala, que podem sobrecarregar simultaneamente várias redes e dispositivos da empresa.

Neste caso, a dica é reforçar a segurança da rede e dos dispositivos conectados à ela para que não se tornem pontos vulneráveis que podem ser atacados pelos cibercriminosos. 3. Ataques ideológicos

Os ataques ideológicos no mundo virtual têm se tornado cada vez mais estruturados e organizados e, atualmente, são representados pelo hacktivismo - um ciberataque, voltado principalmente para entidades corporativas e governamentais, que age no código fonte ou na manipulação de bits para promover determinada ideologia política.

Outro tipo de golpe que parece ter vindo para ficar no universo dos cibercrimes é o deepfake, uma tecnologia capaz de criar vídeos falsos que são extremamente realistas. Este alerta é muito válido, uma vez que esse tipo de conteúdo é utilizado para disseminação de fake news e para induzir colaboradores ao erro.


Porém, ainda que os vídeos sejam convincentes, quem estiver atento pode identificar falhas rapidamente para detectar um material falso, avaliando quesitos que vão desde a falta de sincronização entre o movimento dos lábios e a fala até a falta de piscadas por um longo período.


4. Crescimento dos golpes de engenharia social

A engenharia social, uma tática utilizada por cibercriminosos para induzir usuários a executar uma ação ou fornecer informações pessoais, ganha ainda mais relevância em 2023 graças ao aumento do modelo de trabalho híbrido e as tecnologias utilizadas para viabilizá-lo, além do crescimento de consumidores e investidores on-line, que também costumam ser alvo desse tipo de golpe.


Outro ciberataque que promete uma alta neste ano é a invasão de contas em redes sociais. Nesses casos, os criminosos se passam pelas vítimas para aplicar golpes em seus amigos e familiares.


Para evitar cair em armadilhas desse tipo, tanto na sua empresa quanto na vida pessoal, é preciso estar bem informado sobre segurança digital, não clicar em links suspeitos e ativar a autenticação de dois fatores em todos os serviços que você utiliza no mundo virtual e que têm esse recurso disponível.


5. Cibercrimes mais elaborados

Especialistas apontam que os cibercrimes continuarão em evolução em 2023, se tornando cada vez mais sofisticados e "profissionais". Inclusive, na dark web há diversas trocas de informações através de grupos de hackers e até comercialização de malwares de código aberto.


Outra tendência que infelizmente também tem que marcar presença nesta lista é a de grupos criminosos que recrutam e pagam colaboradores para que instalem ransomware nos dispositivos das empresas em que trabalham, possibilitando o sequestro de dados corporativos e exigência de resgate em dinheiro.


Como posso proteger a minha empresa de cibercrimes?

Ainda que os crimes virtuais estejam cada vez mais complexos e robustos, cuidados básicos que citamos ao longo deste artigo - como o conhecimento geral de técnicas de segurança virtual, instalação de antivírus e autenticação de múltiplos fatores, por exemplo - podem fazer toda a diferença para evitar que seu negócio se torne uma vítima.


Além disso, uma alta proteção depende do trabalho preciso de profissionais especializados em segurança da informação, que se dedicam na busca proativa de vulnerabilidades e ameaças complexas, bem como na investigação de possíveis ocorrências que apresentem um alto risco para a corporação.


Não se esqueça que, em um mundo cada vez mais digitalizado, a sobrevivência de uma empresa no mercado depende, em grande parte, da forma como ela lida com incidentes de cibersegurança.


A Setrix, que conta com profissionais qualificados e com grande experiência na segurança da informação de ambientes corporativos, está pronta para proteger sua organização com soluções adequadas à sua realidade, além de garantir que você trabalhe em conformidade com os protocolos de segurança cibernética. Fale conosco agora mesmo e se proteja de ataques virtuais, inclusive os de alta complexidade.


139 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page